LEANAN SIDHE


Era tarde da noite , um homem ao longe pude avistar.

Parei , enquanto ele provinhava á se aproximar.

Perguntei : _ Para onde estais indo, meu senhor?

De aparência rústica ; falou-me agonizante em dor.

_Estou em busca de resposta!

Pensei:_ Em um caminho, acredito, sem volta...

Derepente , o mesmo , caiu ao chão.

Olhei para ele veemente ; em quanto gemia, estendi-lhe a mão.

No entanto , LEANAN SIDHE , era o nome que gritava.

Em meio aos gritos, ele mesmo se amaldiçoava!

Mais uma vez estendi-lhe a mão;

Foi aí que percebi, que o mesmo parara de gemer.

Peguei-o em meu colo , levantando-o do chão.

No exato momento constatei , que o mesmo acabara de falecer.

Vi-me desorientadom e meio a escuridão.

Foi quando ao longe , avistei uma mulher;

Em imensa ternura, tentação!

Ela aproximou-se ;no exato momento , sua beleza fiquei a admirar.

Ela pegou o corpo do falecido em seu colo , ao ponto de se retirar;

Perguntei: _ Para onde irar leva-lo?

Docemente ela me olhou e falou: _Para o lugar na qual ass respostas que buscava,

ele poderar encontrar!

Sua beleza me encantou de tal forma ,que seu nome vim a perguntar;

_ LEANAN SIDHE! Ela me respondeu...

Distrai-me; enquanto isso ela desapareceu.

Não restou nada , a não ser, eu alí, só ao relento.

Passam-se anos, e aquela mulher '' LEANAN SIDHE'' não sai do meu pensamento.


Christopher Damond

Um comentário:

  1. A gota de orvalho e o cheiro da terra molhada nos primeiros respingos é alguma coisa que levaríamos uma eternidade para descrever. O homem nos dias atuais, tão carente - de tudo - necessita ver a gota de orvalho e entende-la. Não satisfeito, sentir o "cheiro da terra molhada" e enevoar, entrando, assim numa outra atmosfera.

    ResponderExcluir